Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Hoje é dia ...

por Mi ♥, em 14.11.12
disto:


Pois, eu sei.

Eu sei muito bem que a Kristen Stewart é só capaz de ser das piores actrizes de sempre.
Que o Robert Pattinson não é assim consideravelmente melhor.
E que o Taylor Lautner, ainda sendo dos melhorzinhos, não consegue salvar aquilo.

Eu também sei que os filmes são difíceis de assistir, que se arrastammmmmmm e que têm pouca acção.
Os livros não são por aí além em termos de escrita (sim, li todos em Português e em Inglês).

Mas, mesmo sabendo tudo isto e muito mais, não consigo deixar de me sentir terrivelmente, digamos, obcecada com esta história. :)

O pior pior pior pior pior pior pior de tudo é.... perceber que agora deixei de ser apenas uma TwiHard para fazer parte das............. Twilight Moms! NO!

Alguém mais partilha deste meu vício vergonhoso e escondido? :)

Mi♥

publicado às 10:17

Hoje é dia ...

por Mi ♥, em 14.11.12
disto:


Pois, eu sei.

Eu sei muito bem que a Kristen Stewart é só capaz de ser das piores actrizes de sempre.
Que o Robert Pattinson não é assim consideravelmente melhor.
E que o Taylor Lautner, ainda sendo dos melhorzinhos, não consegue salvar aquilo.

Eu também sei que os filmes são difíceis de assistir, que se arrastammmmmmm e que têm pouca acção.
Os livros não são por aí além em termos de escrita (sim, li todos em Português e em Inglês).

Mas, mesmo sabendo tudo isto e muito mais, não consigo deixar de me sentir terrivelmente, digamos, obcecada com esta história. :)

O pior pior pior pior pior pior pior de tudo é.... perceber que agora deixei de ser apenas uma TwiHard para fazer parte das............. Twilight Moms! NO!

Alguém mais partilha deste meu vício vergonhoso e escondido? :)

Mi♥

publicado às 10:17

Problemas familiares, gastrites, visitas, sinosites, mini-férias, dentes, trabalho a mais, trabalho a menos and everything in between!

por Mi ♥, em 13.11.12
Quanto menos se faz, menos se quer fazer.
É bem verdade. E pode ser estendido a vários aspectos da nossa vida. Desde lavar a louça, a trabalhar, a escrever um blog.

Acontece isto e aquilo que não nos permite despejar o que nos vai na cabeça naquele momento. E depois o pensamento passa. Ou fica aglomerado em nós à espera de poder sair.

No meu caso, tanta coisa aconteceu neste último mês que nem sabia por onde começar a escrever.

1) Problemas com o irmão do R. E deixem-me contar um pouco mais esta história do arco da velha...
Quanto surgiu esta oportunidade de emprego no estrangeiro, o R. tinha começado a sua própria empresa há menos de um ano: um centro de estudos, no coração da cidade, que servia como intermediário entre professores e alunos desde o 1º ciclo até à Universidade.
Era o nosso projecto, que criámos e idealizámos desde o início. Tudo, desde à tinta e própria pintura das paredes, passando pelo nome da marca, até à realização do website foi feito por nós. Eu dei aulas. O R. era gestor. Mas, como era de esperar, naquele primeiro ano apenas investimos capital. Era impossível ainda retirar lucros. Por isso continuei à procura de oportunidades no estrangeiro. Já que era algo que eu também queria muito viver! Surgindo esta oportunidade, não olhámos para trás e viemos os dois.
O R. arranjou trabalho na área um mês depois de estarmos cá. E era necessário alguém para nos substituir na empresa. O irmão ofereceu-se. Mudou-se do Algarve para o Centro do país. Ficou no nosso apartamento, como inquilino. Ficou com a empresa, como sócio. Até agora.
A sociedade desfez-se. A confiança quebrou-se. E a amizade também, talvez para sempre. Tudo porque as pessoas não conseguem ser honestas e admitir quando erram. Ou, neste caso, quando gastam dinheiro da empresa, e tentam esconder isso com nuvens de fumo e contas mirabolantes em que os devedores se tornam credores! Sim, no fim, nós deviamos à empresa exactamente o valor que nos é devido em rendas (ainda mais essa, como inquilino não paga as rendas desde Março)... 
Todo o processo foi bastante desgastante, para mim mas especialmente para o R.
E foi-nos imensamente difícil abrir mão duma coisa tão nossa... Mas não havia solução. E o que não tem solução, solucionado está. 

2) Estes problemas acima, não envolvem apenas a nós. Mas também a minha melhor amiga, que trabalhava connosco desde o início... Foi levada na corrente de enganos e traições e não consigo deixar de me sentir profundamente culpada. Quem me mandou envolve-la na empresa? Ou quem me mandou depois abandonar tudo, ela inclusive, e vir embora? Sinto-me exactamente "a rat" se respondesse à famosa pergunta "Are you a man or a rat?"

3) O fantasma do exame (do qual ainda não há novidades) e o sentimento de auto culpabilização continuam... E se, por um lado, já estou bem consciente do resultado (negativo) do dito cujo, não consigo deixar de acreditar que ver o resultado no ecrã vai ser doloroso demais...

4) No meio de tudo isto, recebemos a visita dos meus sogros. E, se normalmente eu fico nervosa com a visita deles (devido à relação maravilhosa com a minha queridíssima sogra) desta vez fiquei ainda pior! Não sabia que lado eles iriam tomar na questão dos filhos ou se deveriam tomar algum! A surpresa foi "agradável" num sentido, porque ninguém se deixou enganar pela atitude dissimulada do irmão. E, se bem que nunca se fica realmente "contra" um filho, foram capazes de perceber a justiça no meio do engano.

5) No dia após a chegada dos meus sogros, fui passar a noite ao hospital, com gastrite. Gastrite nervosa ou gastrite provocada por algo que comi, não sei. Mas fez-me ficar um dia inteiro, 24h, sem nada no estômago, a soro, confinada a quatro paredes dum hospital.

6) No trabalho, há picos de agitação. E a semana passada pude dar uma acção de formação interna. Foi uma experiência diferente e extremamente positiva! Pena que nas semanas seguintes tive que andar a "inventar trabalho"...

7) Os novos dentinhos da M. e as vacinas presentearam-nos com umas boas semanas de choro, acordar a meio da noite, verdadeiras lutas para comer, irritação constante e muitaaaa carência.

Com tudo isto, o corpo e a mente ressentem-se...
Tenho, de novo, uma queda capilar enorme que me fez ficar (pela terceira vez em 4 anos) com uma enorme "pelada" no couro cabeludo, e o tratamento não parece estar a resultar.
Ora fico mal disposta, ora com dores de cabeça, mas não passa uma semana sem que um dia me sinta "menos bem" fisicamente.
Vontade para me mexer? Zero. Quanto menos trabalhar ou escrever! 

No meio de tudo isto, valeram-me as mini férias à Floresta Negra, na Alemanha. Umas mini-férias que planeei como surpresa para os sogros, como forma de os parabenizar pelos anos de casado e agradecer a confiança em nós...  Foram umas mini-férias maravilhosas de contacto com a Natureza e muito descanso mental. :) Prometo que coloco fotografias. E não, os posts com as fotografias de Itália não estão esquecidas! Apenas pendentes... 

Ah e claro, vale-nos a M. que cada dia nos dá forças para acordar. Que nos faz sorrir, brincar, dançar e esquecer. Esquecer que há um mundo inteiro fora destas quatro paredes a que chamamos casa. :)

Mi♥

publicado às 12:00

Problemas familiares, gastrites, visitas, sinosites, mini-férias, dentes, trabalho a mais, trabalho a menos and everything in between!

por Mi ♥, em 13.11.12
Quanto menos se faz, menos se quer fazer.
É bem verdade. E pode ser estendido a vários aspectos da nossa vida. Desde lavar a louça, a trabalhar, a escrever um blog.

Acontece isto e aquilo que não nos permite despejar o que nos vai na cabeça naquele momento. E depois o pensamento passa. Ou fica aglomerado em nós à espera de poder sair.

No meu caso, tanta coisa aconteceu neste último mês que nem sabia por onde começar a escrever.

1) Problemas com o irmão do R. E deixem-me contar um pouco mais esta história do arco da velha...
Quanto surgiu esta oportunidade de emprego no estrangeiro, o R. tinha começado a sua própria empresa há menos de um ano: um centro de estudos, no coração da cidade, que servia como intermediário entre professores e alunos desde o 1º ciclo até à Universidade.
Era o nosso projecto, que criámos e idealizámos desde o início. Tudo, desde à tinta e própria pintura das paredes, passando pelo nome da marca, até à realização do website foi feito por nós. Eu dei aulas. O R. era gestor. Mas, como era de esperar, naquele primeiro ano apenas investimos capital. Era impossível ainda retirar lucros. Por isso continuei à procura de oportunidades no estrangeiro. Já que era algo que eu também queria muito viver! Surgindo esta oportunidade, não olhámos para trás e viemos os dois.
O R. arranjou trabalho na área um mês depois de estarmos cá. E era necessário alguém para nos substituir na empresa. O irmão ofereceu-se. Mudou-se do Algarve para o Centro do país. Ficou no nosso apartamento, como inquilino. Ficou com a empresa, como sócio. Até agora.
A sociedade desfez-se. A confiança quebrou-se. E a amizade também, talvez para sempre. Tudo porque as pessoas não conseguem ser honestas e admitir quando erram. Ou, neste caso, quando gastam dinheiro da empresa, e tentam esconder isso com nuvens de fumo e contas mirabolantes em que os devedores se tornam credores! Sim, no fim, nós deviamos à empresa exactamente o valor que nos é devido em rendas (ainda mais essa, como inquilino não paga as rendas desde Março)... 
Todo o processo foi bastante desgastante, para mim mas especialmente para o R.
E foi-nos imensamente difícil abrir mão duma coisa tão nossa... Mas não havia solução. E o que não tem solução, solucionado está. 

2) Estes problemas acima, não envolvem apenas a nós. Mas também a minha melhor amiga, que trabalhava connosco desde o início... Foi levada na corrente de enganos e traições e não consigo deixar de me sentir profundamente culpada. Quem me mandou envolve-la na empresa? Ou quem me mandou depois abandonar tudo, ela inclusive, e vir embora? Sinto-me exactamente "a rat" se respondesse à famosa pergunta "Are you a man or a rat?"

3) O fantasma do exame (do qual ainda não há novidades) e o sentimento de auto culpabilização continuam... E se, por um lado, já estou bem consciente do resultado (negativo) do dito cujo, não consigo deixar de acreditar que ver o resultado no ecrã vai ser doloroso demais...

4) No meio de tudo isto, recebemos a visita dos meus sogros. E, se normalmente eu fico nervosa com a visita deles (devido à relação maravilhosa com a minha queridíssima sogra) desta vez fiquei ainda pior! Não sabia que lado eles iriam tomar na questão dos filhos ou se deveriam tomar algum! A surpresa foi "agradável" num sentido, porque ninguém se deixou enganar pela atitude dissimulada do irmão. E, se bem que nunca se fica realmente "contra" um filho, foram capazes de perceber a justiça no meio do engano.

5) No dia após a chegada dos meus sogros, fui passar a noite ao hospital, com gastrite. Gastrite nervosa ou gastrite provocada por algo que comi, não sei. Mas fez-me ficar um dia inteiro, 24h, sem nada no estômago, a soro, confinada a quatro paredes dum hospital.

6) No trabalho, há picos de agitação. E a semana passada pude dar uma acção de formação interna. Foi uma experiência diferente e extremamente positiva! Pena que nas semanas seguintes tive que andar a "inventar trabalho"...

7) Os novos dentinhos da M. e as vacinas presentearam-nos com umas boas semanas de choro, acordar a meio da noite, verdadeiras lutas para comer, irritação constante e muitaaaa carência.

Com tudo isto, o corpo e a mente ressentem-se...
Tenho, de novo, uma queda capilar enorme que me fez ficar (pela terceira vez em 4 anos) com uma enorme "pelada" no couro cabeludo, e o tratamento não parece estar a resultar.
Ora fico mal disposta, ora com dores de cabeça, mas não passa uma semana sem que um dia me sinta "menos bem" fisicamente.
Vontade para me mexer? Zero. Quanto menos trabalhar ou escrever! 

No meio de tudo isto, valeram-me as mini férias à Floresta Negra, na Alemanha. Umas mini-férias que planeei como surpresa para os sogros, como forma de os parabenizar pelos anos de casado e agradecer a confiança em nós...  Foram umas mini-férias maravilhosas de contacto com a Natureza e muito descanso mental. :) Prometo que coloco fotografias. E não, os posts com as fotografias de Itália não estão esquecidas! Apenas pendentes... 

Ah e claro, vale-nos a M. que cada dia nos dá forças para acordar. Que nos faz sorrir, brincar, dançar e esquecer. Esquecer que há um mundo inteiro fora destas quatro paredes a que chamamos casa. :)

Mi♥

publicado às 12:00

♥ Baby Love ♥ há 13 meses

por Mi ♥, em 13.11.12
Ainda agora completaste 12 meses de existência e, sorrateiramente, sem ninguém dar por ela, já aqui chegaste - 13 meses.

13 meses do amor mais puro, mais verdadeiro, mais inimaginável que pudemos alguma vez sentir.
Há 13 meses atrás não sabia que podia amar tanto quanto hoje e daqui a 13 meses sei que te amarei ainda mais.

Já não és uma bebé, cresceste, estás independente (como aliás, sempre demonstraste ser). Andas e corres sozinha. Mas também cais sozinha. :( Já puseste o coração da mamã pequenino pequenino pequenino com as tuas quedas........ Mas revelas ser uma menina mais forte do que a mamã até e tu é que secas as minhas lágrimas com o teu sorriso.

Ai o teu sorriso! Faz-me ver o Sol num dia cinzento. Faz-me sorrir eu própria quando só tenho razões para chorar. Faz-me sentir quente e cheia por dentro. Cheia de um amor que não se consegue explicar em palavras. Um amor que eu não sabia que conseguia sentir, ou que alguma vez queria sentir. Até tu apareceres, 13 meses atrás.



És linda... Estás crescida, traquinas, mas muito amorosa. Amas a mamã, eu sei. E a mamã ama-te a ti. Muito... Para sempre.

Mi♥

publicado às 09:33

♥ Baby Love ♥ há 13 meses

por Mi ♥, em 13.11.12
Ainda agora completaste 12 meses de existência e, sorrateiramente, sem ninguém dar por ela, já aqui chegaste - 13 meses.

13 meses do amor mais puro, mais verdadeiro, mais inimaginável que pudemos alguma vez sentir.
Há 13 meses atrás não sabia que podia amar tanto quanto hoje e daqui a 13 meses sei que te amarei ainda mais.

Já não és uma bebé, cresceste, estás independente (como aliás, sempre demonstraste ser). Andas e corres sozinha. Mas também cais sozinha. :( Já puseste o coração da mamã pequenino pequenino pequenino com as tuas quedas........ Mas revelas ser uma menina mais forte do que a mamã até e tu é que secas as minhas lágrimas com o teu sorriso.

Ai o teu sorriso! Faz-me ver o Sol num dia cinzento. Faz-me sorrir eu própria quando só tenho razões para chorar. Faz-me sentir quente e cheia por dentro. Cheia de um amor que não se consegue explicar em palavras. Um amor que eu não sabia que conseguia sentir, ou que alguma vez queria sentir. Até tu apareceres, 13 meses atrás.



És linda... Estás crescida, traquinas, mas muito amorosa. Amas a mamã, eu sei. E a mamã ama-te a ti. Muito... Para sempre.

Mi♥

publicado às 09:33

Mensagens


SOBRE A MI

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

subscrever feeds



Mensagens

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930