Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Miley, Mileyinha...

por Mi ♥, em 30.08.13
Mas ainda há quem se admire das figuras parvas que esta miúda faz?

Desde que pôs na sua cabecinha que, para fazer sucesso, tinha que se desvincular do ar de menina do papá country, a todo o custo, não pára de se envergonhar. A ela e a uma data de pessoas que dizem ter a mesma profissão que ela.
É que há pessoas que já sabemos que são assim, a virar pro chanfrado, tipo lady Gaga e afins. Depois há aquelas "sexy baby" que têm um ou outro momento de maluqueira. Mas esta menina não teve um momento sano há muito muito tempo. Epa, a Britney ainda durou alguns aninhos antes de fritar a marmita...

Adiante.

O que mais me impressiona são as pessoas. Sim, as pessoas que comentam "ai que figuras porcalhonas que ela fez" ou então "ai que ela nem fez nada assim tão grave, até parece que não viram outras edições do VMAs sempre com miúdas a fazer cenas tristes".

Epa, mas isto é muito triste. E eu nem falo das roupas, do cabelo, ou dos gestos! Se fizesse isto tudo com ... digamos, estilo e classe, acho que não era levado tão a mal! Olhem uma Beyoncé que às vezes "roça ali o profano" e é aplaudida de pé...! E eu sou uma das que se levanta. 

Mas isto é medonho. É visível o desespero que esta miúda sente. E depois os cenários, os figurantes... Ursinhos e mulheres gigantes com rabos gigantes? E ela vestida com qualquer coisa cintilante, onde se vê o que tem por baixo? E parecer que ensaiou aquilo 1h antes, enquanto publicava fotod no Instagram e tweetava? E a línguinha de fora? Top.

Naaaa. Se é pra fazer poucas vergonhas, que seja em estilo!
Com classe menina...


Até este outfit até é capaz de a aleijar... Ouch!

Já nem é preciso falar da voz, certo? Eu tive que pôr a cena toda em mute se queria ver o vídeo até ao fim... 

publicado às 14:42

Quote of the day #13

por Mi ♥, em 29.08.13
tão verdade! 

Serei a única a sentir-me tão non-photogenic?

publicado às 13:51

Fofinhos, fofinhos!

por Mi ♥, em 26.08.13
Este fim-de-semana não foi fácil não.

Um dos amigos do grupo (a "cola" inicial que nos manteve todos juntos) chegou hoje a Helsínquia para viver os próximos quatro meses.

Quatro meses poderão parecer uns míseros 122 dias, mas para todos nós são muitossssss 122 dias! Adiante.

O fim-de-semana foi cheio de muitas despedias, muitas noites dentro a preparar surpresas, muitos jantares tarde e a más horas, muito choro à mistura. Não foi fácil.

E hoje estou aqui neste estado deplorável, meia despenteada, com restos (mas poucos, hein! que eu até sou uma pessoa de remover makeups), de rímel nas pestanas e cara inchada de quem se deitou duas noites seguidas depois das 3h não se lembrando aquele mesmo corpinho teria às 9h (até foi querida, podia ter sido pior) uma criança aos saltos em cima.

Ainda assim foi depois de quase adormecer em de cara escarrapachada no meu peixinho ao almoço, estando eu a queixar-me da minha carantonha medonha de hoje, sem makeup, cabelo desalinhado, óculos tão baços que parecia que o dia estava enevoado, que o meu coleguinha me presenteou dizendo:

Oh, you do not have any makeup on today? I didn't realize at all! You're a beauty. a natural beauty!

Se ao menos estivesse assim tão fresca e fofa!


Tão fóooofinhos*, não são?

*E mentem tão bem. São italianos, está-lhes no sangue. ;)

publicado às 13:50

Más mães ou mães honestas?

por Mi ♥, em 23.08.13
Li um comentário de alguém que perguntava se seria pior mãe por desejar (um pouco) a vida de antigamente...

Eu acho que isso não faz de nós piores mães (vá, acho isso nos meus momentos de lucidez, porque há dias negros, como se vê por aqui...).

Mas é normal, e acredito que todas as mulheres *sinceras* sintam isso mesmo, uma espécie de nostalgia pela vida anterior!

Como não sentir?

Eu sinto! Sinto falta das noites bem dormidas, de chegar a casa depois de um dia de trabalho e deitar-me no sofá, sem em preocupar com jantares e banhos ou birras, de ir a um restaurante sossegada (e isto fazemos ocasionalmente, mas nunca sem o sentimento de "culpa" por deixarmos de gozar aquelas duas horinhas com ela), das férias mais longas ou a sítios mais distantes, exóticos (que, por agora, ainda não dá e financeiramente não sei quando poderemos fazer de novo), sinto saudades de poder ir ao cinema à meia noite sem dar satisfações (agora isso implica sempre pedir aos avós para ficarem com ela).

Sinto saudades de tão pura e simplesmente me sentir completamente descontraída. No sentido de não panicar sempre à mínima coisa.

Acho que depois de sermos mães (e principalmente uma mãe a roçar um pouco o neurótico, como eu às vezes) nunca mais vivemos despreocupadas. Há sempre alguma coisa a invadir-nos a mente. Quando lemos um artigo sobre um bebé que lhe aconteceu x ou y, lá vão uns aninhos de vida do coração, e mesmo quando pensamos em coisas banais como na educação, alimentação, etc etc etc... há sempre algum assunto pelo qual nos preocupar-nos! :)

Por isso  acho que não, não nos faz pior mães sentirmos saudades destas coisas. Faz-nos mães honestas admitirmos isso.

E depois, só aquele abraço* é tãoooo bom, tão incomensuravelmente a descrição do amor, que já nos alegra a alma, descansa a mente e devolve os anos de vida roubados ao coração à conta dos pequenos "paniques cardíacos"...

* e há tantas outras coisas: a gargalhada doce, o riso maroto, o olhar terno, o beijinho delicioso, o pegar na nossa mão que nos faz estremecer o coração, o ouvir chamar "mamã" com a voz mais angelical do mundo, o "amo-te" ainda sem sentido que nos transborda de alegria a alma, correr na nossa direcção depois de um dia separadas, a dançaria e cantorias frenéticas, um qualquer disparate divertido que dizem, a alegria... a alegria contagiante!!! Isto é o que faz *tudo* valer a pena.

publicado às 13:59

First time

por Mi ♥, em 23.08.13
Provei-te pela primeira vez, Foste doce, a tua banana durinha e as tuas nozes crocantes. 
Preencheste-me o desejo e ocupas agora metade do meu coração! 

publicado às 12:45

Intimacy

por Mi ♥, em 23.08.13
Acabámos de ter uma conversa ao telefone. :o)
Daquelas que só duas pessoas que estão juntas há mais de oito anos poderiam ter e ainda assim estar dispostos a "outras coisas" logo à noite...


This gotta mean something, right? :)


publicado às 12:02

Really?!

por Mi ♥, em 22.08.13
Este também?


 Será que todos os homens bonitos do planeta estão destinados a ficar... uns com os outros?!




Thank God I'm taken, but I feel for my single friends... Boa Sorte para vocês!!!

Fez-me lembrar...
“Straight? So is spaghetti until you heat it up”
Jet Mykles,
Squire 

publicado às 15:23

Obsessions

por Mi ♥, em 21.08.13
Sou uma rapariga de obsessões, é um facto.

Não consigo viver uma vida "assim-assim"...
Nem que as minhas obsessões se tornem um peso, uma dor de cabeça, não consigo livrar-me delas.
Panico e panico bem. E panico muito. E antecipadamente. E por coisas que ainda nem sequer aconteceram. Essa é a pior das minhas obsessões.

E é engraçado que este blog é mesmo um espelho disso mesmo: aquilo que me faz "vibrar", de vez em quando. Ora isto lá anda assim a meio gás durante uns tempos, uns posts sem interesse nenhum aqui outros posts de baby moments acolá até que -pum - lá vem mais outra coisa qualquer para eu obcecar! 

Primeiro foram os exames e, me aguardem, porque essa obsessão vai voltar com força. Ou então não.
Depois o vestido de casamento que durou décadas.
A seguir, as férias.
Aí pelo meio, e sempre constante, o trabalho seca.
Ainda houve a obsessão pelas 1001 coisas a fazer para o casamento dos amigos.
E depois o vestido dela. E o fato dele. E os acessórios.
Ah! E também a obsessão pelo eBay e pelas compras online.
E pelas compras em geral. Tini tiny baby styff...
Sim, e não esquecer a obsessão pelos blogues e pelos vídeos de cabelos e tutoriais de maquilhagem!
E a obsessão por makeup itself, que me levou a gastar uns bons eurinhos.
Ainda obcequei por vender a Canon "demasiado grande" e depois obcequei em comprar a máquina que "afinal-não-era-tão-grande-assim". Portanto, obsessão por fotografia.
Depois vieram umas duas ou três obsessões por livros, por séries. Que li de rajada. Que vi ininterruptamente.

Engraçado, engraçado é que nenhuma destas minhas obsessões me leva a realizar algo. A produzir.
Normalmente só me fazem perder, tempo e dinheiro. Ou paciência. E boas doses de sanidade mental.

Nunca obcequei em ficar magrinha, magrinha.
Nunca tive a obsessão de estudar Francês até aprender a ter vergonha na cara por estar nesta terra há mais de dois anos e não me sentir à vontade para falar com as educadoras da minha filha.
Ainda não obcequei em ler todos os livros sobre parentalidade ou acabar o curso de 12 semanas que tenho para acabar!
Não obcequei em fazer websites online e ganhar qualquer coisinha extra. Ou candidatar-me a mais empregos.
Nem mesmo a ler notícias e ficar atualizadíssima nas últimas!
Nem em ver vídeos engraçados ou fofinhos online!!!

Obsessões seca, estas minhas. Que só me fazem perder, mas nunca aquilo que realmente desejo perder.

publicado às 15:20

Problemáticas aos 40

por Mi ♥, em 20.08.13
O meu "colega de carteira", que é como quem diz, o colega de sala, tem 40 anos.
É solteiro, nunca foi casado, não tem filhos.
Não tem casa, não tem carro, não tem responsabilidades além do trabalho.

Mas tem problemáticas importantíssimas!
A última questão verdadeiramente existencial é esta: está com uma rapariga mas não tem muita certeza quanto ao futuro juntos porque ela fecha-se e não é tão atenciosa como ele gostaria. Devido ao pai tê-la abandonado quando era criança e um outro amor que não correu muito bem pelo percurso, acabou por se tornar muito reservada, especialmente cautelosa com os homens... E isto apesar de demonstrar por palavras e acções que é a pessoa certa para ele, e que o ama verdadeiramente.

Até aqui tudo muito bem.

Mas agora que o "rapaz" (eu sei que ele tem mais 14 anos do que eu, mas já definimos que eu tenho 26 por fora e 40 por dentro e ele 40 por fora e 26 por dentro, por isso é e será "o rapaz" para mim) já está comprometido, parece que as outras "mulheres-raparigas" (as tais de 40 anos por fora e os 20 e poucos nada amadurecidos por dentro) se aperceberam que o seu backup plan foi à vida e resolveram tomar medidas.

Especialmente uma, por quem ele se mostrou muito interessado durante uns dois anos e nunca retribuiu o interesse, agora aparece do nada e é vê-la a querer marcar jantares, e ela é passeios de bicicleta e movie nights na casa dele e patati patatá...

E o rapaz, confirmando que é realmente um homem como a grande maioria, ainda anda com question marks all over his head, porque se calhar a outra é que é boa e tal....

JEZZ!!! Será que os homens não aprendem!? Escolheram, não escolheram? Estão num relacionamento, certo? Epá, não é um mar de rosas? Nada é. E se já têm 40 anos, deviam saber bem disso.

Mas não se pode andar a saltar "de galho em galho" só porque... "ah... E SE!?!" E se, NADA.
Escolheram, agora aguentem-se à bronca... Olha se tivessem casado já? E a outra se lembrasse "hm, lá se foi o meu pássaro na mão a voar, deixa-me é ir apanhá-lo", iam cair na esparrela? No máximo podem fantasiar uns segundos em como seria a vossa vida se tivesses feito escolhas diferentes... Mas escolhas, são escolhas. E não podemos viver na indecisão. Na escolha e "de-escolha".

Serei eu assim tão vintage (porque agora nada é velho, tudo é vintage)?


publicado às 15:59

So so true...

por Mi ♥, em 20.08.13

Tão verdade, verdadinha!
Aconteceu-me com os maiores dois sonhos, aqueles que nunca sonhei...

Tu e ela.

publicado às 10:11

Mensagens

Pág. 1/2



SOBRE A MI

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

subscrever feeds



Mensagens

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

calendário

Agosto 2013

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031