Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


cabes em mim.

por Mi ♥, em 21.11.13

A ti.

 

Ontem descobri uma coisa.

 

Sabes, eu costumava ficar triste quando te via crescer tão rápido.

Porque já não és bebé, e foste-o durante tão pouco tempo. Ou porque o tempo não perdoa e rouba-me momentos preciosos contigo.Também porque significa que que estás cada vez mais independente de mim e que estás mais próxima de traçar o teu caminho, que talvez te leve para longe de nós. Não queria que crescesses tão rápido porque te quero só para mim, sem ter que dividir o teu amor com outros como a tua próxima melhor amiga na escola.

 

E principalmente, porque tinha muito, muito medo de já não caberes em mim. No meu colo. De não conseguir pegar-te quando te magoas, ou atirar-te ao ar para te fazer rir, ou enroscar-te no meu colo e proteger-te do mundo, ao mesmo tempo em que me proteges a mim mesmo sem saberes.

 

Mas sabes, eu ontem descobri uma coisa... E descobri que à medida que cresces, as forças dos meus braços crescem contigo e o meu colo cresce contigo. Por isso, nunca tenhas medo de te enroscar nele. Nunca, meu amor. Porque ele vai estar sempre talhado mesmo à tua medida.

publicado às 12:04

M., a Vaidosa

por Mi ♥, em 22.10.13

A M. é viciada na chupeta.

 

Vício no sentido amplo da palavra. Uma necessidade, uma mania, um hábito que consegue resistir!

É só dar-lhe a chupeta ao fim do dia de creche (onde só usa para dormir) e a miúda até suspira de consolo!!! Lá em casa anda sempre com duas ou três chupetas na mão. E às vezes na boca, todas as mesmo tempo.

 

Mas hoje acho que descobri a solução para o vício...

 

Ora a miúda já é vaidosona suficiente para me pedir baton, calçar os meus sapatos, pentear-se e ficar a olhar-se no espelho durante largos minutos, a contemplar-se e fazer caretas (inclusive beicinho!).

 

Hoje, durante a viagem de carro, lá ia ela a pedir-me baton e, como de hábito, lá lhe besuntei os lábios pequeninos com baton de cieiro com sabor a morango... Fez beicinho, mandou beijinhos, roºou os lábios um no outro. Mas antes que pusesse a chupeta, outra vez, avisei-a: "se puseres a pêpê, o baton sai e já não há mais!"

 

E não é que isso a parou!? Ficou a olhar para a fonte do vício, com olhar contemplativo e pensador... Mas a vaidosice foi maior! :)

 

Acho que é desta que lhe compro o mesmo número de batons que ela tem em chupetas!!!

 

Kiss kiss

publicado às 13:07

...

por Mi ♥, em 22.10.13

Some people ask me how can I still smile. How do I get up every morning. How do I still feel joy and happiness.

 

How can I still feel happy when my world, so close now, is trembling. Falling apart.

 

I ask myself the same question from time to time. at first, I don't know the answer. Maybe the tales, I so often read about in my books, maybe it's them who make me forget.

 

And then I remember. The true reasons for Mi.

 

It because of her laugh.

 

Her pure, candid, true laugh that can outshine a sunny day. That can hush a crowd. When she laughs I forget. Only me and her remain in the world. No problems, no demanding solutions, no life changing decisions. Just me and her. Laughing. Giggling. Being us, a whole.

 

And also his arms.

 

His strong, protective arms. In which I know I will live and die. And take comfort in. When I feel his embrace, the world stops. No more troubles, no more anxiety, no more panic. Only tenderness, peace, Love.

 

This is why.

 

Why I don't fear the emerging problems now just around the corner.

 

Why I still face the future with a smile in my lips.

 

Living every day as a blessing.

 

Only because of her.

 

And him.

 

And my fairy tales...

publicado às 09:04

Happy rainbow

por Mi ♥, em 16.10.13
Começo a reparar nas "cores" e no tom deste blog e preocupa-me que seja sempre negro e grave.

Parece que a depressão, o desalento, a tristeza é aquilo que me define melhor aqui. E preocupa-me saber que isso, não é de todo, um espelho de quem sou.

Claro que tenho fases más. Todos temos. Eu gosto de escrever sobre elas, aqui. Para não ter que sobrecarregar mais ninguém com as minhas palavras, as minhas emoções já tão pesadas para mim.

Aqui é onde sinto que posso despejar o saco, quando está cheio demais.

Mas nem sempre o saco está cheio de problemas ou tristeza e desespero. Pelo contrário.

Muitas vezes está cheio de alegria, de paciência, de amor! Mas, é engraçado, sobre isso não tenho necessidade de escrever...

Não sinto necessidade de escrever sobre esta fase que já dura há tantos meses.

Esta fase tão terrível quanto amorosa da M. Estes terrible two que estão a ser a melhor fase que já vivi com ela! De cumplicidade, de entendimento, de moldar personalidades e cativar-me com emoções, palavras, atitudes... De sentir que tenho ali uma companheira, uma amiga. A minha melhor amiga.

E nem tenho necessidade de escrever sobe a minha relação com o R. Tão serena, tão clara, tão (im)perfeita na sua perfeição.

Finalmente as estrelas se alinharam, parece. Mas a verdade é que se alinham muitas vezes. Ou melhor, naturalmente estão alinhadas. Depois lá vem de vez em quando um tufão qualquer que as deixa todas baralhadas... Apenas até encontrarem o caminho de novo à sua organização...

Por isso, tenho que o admitir. A minha vida é como um arco-íris sim.
Cheia de cores! Algumas gosto muito, outras nem tanto... E de vez em quando lá vem aquela chuvada forte! Mas sabemos que precisamos da chuvada para rever o arco-íris...

E o pote de ouro no final do arco-íris? Bem, nem tive que ir ao fim e já encontrei dois... 


publicado às 16:35

Sweet girl, Sweet words

por Mi ♥, em 16.10.13
Hoje pus este cinto com um lacinho e já estava vestida quando a princesa acordou... 


Quando a fui buscar à caminha, olhou para mim ainda com os olhos semi-cerrados e disse "uau mamã"... Haverá melhor maneira de começar o dia?
 
Por muitos problemas que possam existir, não há nada que amorteça a felicidade que aquela miúda me faz sentir!!!

publicado às 11:07

♥ Baby Love ♥ há 2 ANOS

por Mi ♥, em 13.10.13

 

Faz hoje dois anos que te conheci.

Dois anos desde a primeira vez que te vi, ao vivo.
E, pela primeira vez, não consigo expressar em palavras o amor, tão imensurável e incondicional que sinto por ti.
Que senti há dois anos. Que senti mais há um ano. Que sinto a preencher-me o coração e a alma agora. E que sei que sentirei ainda mais amanhã.
Foste (e és) muito mais do que merecíamos, tanto mais do que pedimos.
Foste uma benção e uma responsabilidade. A alegria e a preocupação.
Foste a cola que nos mantém juntos, a todos. Foste a melhor solução para tantas mágoas, o cachimbo da paz para tantos arrufos. A única alegria em tantos momentos de desânimo.
Nunca soube bem ser tua mãe, mas tu soubeste ser minha filha. O Sol dos meus dias, a Lua nas minhas noites.
Só tu me fazes rir e chorar ao mesmo tempo.
Só tu és capaz de me fazer dançar no carro, sem me preocupar com os outros condutores! Só por ti danço o chu chuá ou a dança do pinguim quer em frente de estranhos ou amigos, sem vergonha, sem constrangimento. Só tu me consegues colar ao chão, e ver-te brincar. Só tu consegues fazer-me rir quando só quero chorar. Só tu tornas tudo mágico, mesmo os dias banais.
Porque é por ti e para ti.
Tudo é por ti e para ti. Tu deste sentido à nossa vida. Fizeste-nos viver e não só sobreviver.
Fazes a nossa vida um carrossel de emoções, em que no final guardamos a alegria como a mais marcante.
Por ti vivemos, por ti fazemos planos para o futuro.
A ti queremos proteger.
Educar.
Orientar.
Limpar lágrimas.
Dar e receber abraços.
Contar uma história todas as noites e encher-te de beijos.
Apoiar.
Repreender.
Ensinar.
Dar as mãos.
Ajudar a ultrapassar dificuldades.
Receber de braços abertos depois de teres errado.
Deixar ir, quando a vida te levar para o teu caminho.
Ouvir todos os dias acerca das coisas importantes. E dos disparates.
Ver, ouvir e cheirar pela última vez, se assim tiver de ser.
Rever, quando o tempo chegar!
A ti queremos Amar.
Ontem, Hoje, Amanhã e para Sempre. 
Amo a ti Mariana...

publicado às 14:50

Más mães ou mães honestas?

por Mi ♥, em 23.08.13
Li um comentário de alguém que perguntava se seria pior mãe por desejar (um pouco) a vida de antigamente...

Eu acho que isso não faz de nós piores mães (vá, acho isso nos meus momentos de lucidez, porque há dias negros, como se vê por aqui...).

Mas é normal, e acredito que todas as mulheres *sinceras* sintam isso mesmo, uma espécie de nostalgia pela vida anterior!

Como não sentir?

Eu sinto! Sinto falta das noites bem dormidas, de chegar a casa depois de um dia de trabalho e deitar-me no sofá, sem em preocupar com jantares e banhos ou birras, de ir a um restaurante sossegada (e isto fazemos ocasionalmente, mas nunca sem o sentimento de "culpa" por deixarmos de gozar aquelas duas horinhas com ela), das férias mais longas ou a sítios mais distantes, exóticos (que, por agora, ainda não dá e financeiramente não sei quando poderemos fazer de novo), sinto saudades de poder ir ao cinema à meia noite sem dar satisfações (agora isso implica sempre pedir aos avós para ficarem com ela).

Sinto saudades de tão pura e simplesmente me sentir completamente descontraída. No sentido de não panicar sempre à mínima coisa.

Acho que depois de sermos mães (e principalmente uma mãe a roçar um pouco o neurótico, como eu às vezes) nunca mais vivemos despreocupadas. Há sempre alguma coisa a invadir-nos a mente. Quando lemos um artigo sobre um bebé que lhe aconteceu x ou y, lá vão uns aninhos de vida do coração, e mesmo quando pensamos em coisas banais como na educação, alimentação, etc etc etc... há sempre algum assunto pelo qual nos preocupar-nos! :)

Por isso  acho que não, não nos faz pior mães sentirmos saudades destas coisas. Faz-nos mães honestas admitirmos isso.

E depois, só aquele abraço* é tãoooo bom, tão incomensuravelmente a descrição do amor, que já nos alegra a alma, descansa a mente e devolve os anos de vida roubados ao coração à conta dos pequenos "paniques cardíacos"...

* e há tantas outras coisas: a gargalhada doce, o riso maroto, o olhar terno, o beijinho delicioso, o pegar na nossa mão que nos faz estremecer o coração, o ouvir chamar "mamã" com a voz mais angelical do mundo, o "amo-te" ainda sem sentido que nos transborda de alegria a alma, correr na nossa direcção depois de um dia separadas, a dançaria e cantorias frenéticas, um qualquer disparate divertido que dizem, a alegria... a alegria contagiante!!! Isto é o que faz *tudo* valer a pena.

publicado às 13:59

So so true...

por Mi ♥, em 20.08.13

Tão verdade, verdadinha!
Aconteceu-me com os maiores dois sonhos, aqueles que nunca sonhei...

Tu e ela.

publicado às 10:11

♥ Baby Love ♥ há 22 meses

por Mi ♥, em 13.08.13
Ao olhar para este título congelei um bocadinho.
Pensei que será das últimas vezes em que poderei dizer "a minha filha tem x meses".

Meses.

Passaram-se os meses e agora contar-se-ão os anos.

Anos em que te quero sempre aqui, próxima de mim. Como estiveste durante estes meses.
Anos de ... saber ser Tua mãe. Fazer algo errado e pedir desculpa. Gargalhar muito. Brincar contigo deitada no chão. Lermos juntas. Andarmos de mão dada na rua. Ter-te aninhada ao meu lado na cama. Ouvir dizer-te "amo-te muito mamã", como fazes, mas sabendo o que dizes. Viajarmos e conhecermos outras culturas juntas. Vermos os programas todos da National Georhaphic sobre animais. Levar-te ao teu primeiro dia de escola. Ajudar-te a pintar, a conhecer as cores. Sermos as melhores amigas.

Anos de amar-te muito hoje, amanhã mais e depois de amanhã mais ainda!

And you inside mine... ♥ Forever ♥

publicado às 15:59

♥ Baby Love ♥ há 20+1 meses

por Mi ♥, em 13.07.13
Não to escrevi aqui, mas os teus 20 meses não passaram despercebidos...
Estavas na companhia de quem amas, de quem te ama, a fazer o que te (nos) põe um sorriso nos lábios.

Como sempre foste (és) feliz, despreocupada, segura de ti.

Não percas isso, nunca.

É bom saber que és assim, porque às vezes a mamã assusta-se.
Entra em pânico e não sabe como te fazer crescer, como ser a tua estrada, segura e capaz de te levar a tantas aventuras...

Às vezes penso que vives um milhão de sentimentos, como eu.
Por isso é bom ver que o teu sorriso é genuíno, que o teu olhar é feliz, que os teus olhos são verdadeiramente apaixonados. Que vives sem medos. Só seguranças.

Gosto de saber que és simplista, como o papá. Que gosta das coisas simples, mas correctamente importantes da vida.

Que não complicas, como faz a mamã. Que vives feliz, despreocupada, reguila, energética e muito certa do que és e do que queres.

E és tão faladora! Tão perspicaz, tão despachada... Com tanta energia! Mesmo na creche, não páras 1 min, se não for para dormir.

Tens tanta vida em ti, que nos dás vida a nós!

Adoro ver-te brincar, descer no escorrega sozinha sem medos, partilhares os brinquedos com os outros meninos, correres de pés descalços na relva, rebolares, andares de carrinho com os pés pousados no volante, atirares-te do sofá para o puff, correres para fugires de mim, sempre a gargalhar!

És perfeita.

Desculpa se nem sempre eu sou perfeita para ti. Ou perfeita de todo... 
Mas acredita todas as vezes que te digo "amo a ti".
De manhã ao acordares, à tarde quando te vou buscar à creche, à noite quando te deito... É a minha única verdade... Este grande, imenso amor por ti.

E eu acredito, quando respondes "amo a ti mamã"...


publicado às 14:23

Mensagens


SOBRE A MI

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

subscrever feeds



Mensagens

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728