Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Momentos eternos

por Mi ♥, em 18.12.13

Ontem estavas chorona e não querias dormir sozinha. Ultimamente isto tem acontecido com alguma frequência e quando chega a hora de ir para a caminha, ora pedes "caminha papá" ora agarras-te a mim com toda a força que os teus bracinhos aguentam e não largas.

 

E ontem foi assim, agarraste-te à mamã e não querias largas. Posso contar-te um segredo? A mamã também não queria largar! Mas tem de ser, para te (re)habituares a dormir na tua caminha porque é assim que tem que ser. E aqui um aparte. Não, eu também não sei "porque assim tem de ser" e compreendo-te. Compreendo que querias dormir ao lado de nós, quentinha, a sentir a nossa presença mesmo ao teu lado, o nosso abraço, os nossos beijinhos. compreendo porque eu, e o papá também, queremos sempre a mesma coisa. Mas nós temos um ao outro e tu ficas sozinha no teu quarto... E eu também não consigo justificar isto! Sim, eu sei que tu dormes (dormir mesmo, não os momentos antes ou depois) melhor sem nós ali ao lado a limitar-te o espaço. E por isso, tens que ficar na tua caminha...

 

Mas ontem não queria, nem por nada! Como a mamã não cabe na tua cama, fiquei ali ao lado, de braços entrelaçados nas grades, com a mão na tua almofada, a tentar convencer-te a ficar assim, a deitar-te... Sentaste-te e depois acabaste por te deitar.

 

E ficámos assim as duas. A mamã sentada no chão, com a cabeça apoiada numa almofada na cadeira, de braços esticados num abraço que rompe barreiras e grades, com uma mão debaixo da tua cabecinha e a outra apoiada no teu ombrinho... Tu de bochecha encostada na mão da mamã, olhos grandes, ternurentos a mirar-me e mão na minha bochecha.

 

Ficámos assim muito tempo. E se bem que qualquer pessoa ficasse desconfortável e com dores de costas e rabo só de olhar para mim, foi a posição mais confortável em que estive desde há muito tempo... Mesmo com pé dormente. ;)

 

Tudo porque amo a ti.

 

Quis que este momento ficasse imortalizado pela fotografia, mas não correu bem. Assim, fica eternamente na nossa, tua e minha, imaginação...

publicado às 11:59

Go red!

por Mi ♥, em 12.12.13

Pronto, para tratar de matar a bicharada que habita (ou habitava) aqui no 5º andar, fiquei ruiva.

A tinta foi daquelas que fazer queimar os pelinhos do nariz e quase que ficava com uma mega mancha que mais parecia um chupão no pescoço (graças a Deus pelo creme Nivea que remove isto tudo), por isso acredito que a bicharada esteja mais que morta!!!

 

Ou isso, ou elevei os piolhos a fashionistas. God no.

 

 

 

Entretanto, a bicheza da miúda também não dá sinais de vida após a double shot do remédio. Claro que a piquena continua com comichões mas nada que o meu A-Dermazinho não trate... Queridinho.

publicado às 14:56

Quando nasce uma pessoa de nós...

por Mi ♥, em 02.12.13

é fascinante como alguém muda.


Mudam-se gostos, mudam-se atitudes, mudam-se pensamentos, mudam-se os corpos e mudam-se tanto as prioridades.

Hoje tenho tantos problemas. Tantas ervas daninhas que teimam em não ser arrancadas e que voltam para estragar, de novo, o nosso íntimo.

Mas nada disso me fez o coração parar ou a barriga contorcer-se de dor, ou até os olhos encherem-se de lágrimas, como ouvir-te chorar hoje.
No primeiro dia em que choraste ao deixar-te na creche. O primeiro dia em que te agarraste ao meu pescoço e não querias sair da segurança do meu colo. Logo tu que nem me dizes adeus noutros dias, que te apressas a ir ao encontro de brincadeiras e sorrisos e amigos pequeninos.
E hoje doeu-me. Doeu-me tanto deixar-te assim, a chamar por mim, a gritar pelo meu colo, pelo meu abraço e pelo meu beijinho milagroso que cura tudo.

 

Hoje amaldiçoei a minha vida. E não pelas razões "lógicas" aos outros. Só porque não pude, como queria, abraçar-te, beijar-te e assegurar-te que tudo ia ficar bem porque a mamã estava ali.

publicado às 13:23

"A Manana é intsionanto!"

por Mi ♥, em 04.11.13

Traduzindo: "a Mariana é impressionante", ouviu-nos ela a dizer acerca da sua capacidade de dizer/repetir praticamente tudo!


"Não sei"
"Onde tá minina/minino,cão,gato,vaca (com v e não com b)"
"Já tá"
"A Maiana tem ..."
"Merci"
"Bonjour"
"Ne" - nariz
"Bucha"- boca
"Gota muito papa/mama/vovó/vovô"
"Calça tapato"
"Faz tu mamã"
"Não queo ete/aquele"
"Vamos mimir"
"Olha tão bom"
"Anda ver"
"Amofada"
"Que fifinho" - fofinho
"Lê o bibro"
"Pipo / baíga"
"Amo a ti"
"Tia cabelo" - da frente dos olhos.
"Já vou" - adoroooo quando responde isto quando a chamamos
"Poque o bebé ta choair?"
"NON"
"É meu/mia"
"Não goto"
"Dá cá"
"Viste?"
"Vistes?" - ouvistes
"Que é ito?"
"Coate" - chocolate
"Manteia"
"Num há"
"Poaboi" - por favor

"Xau men" - quando se surpreende! É uma expressão muito nossa...
"Ito fica aqui" 

to be continued... :)

 

E a minha preferida... "amo a ti", assim do nada, com um abraço, na altura mais que certa. Que me faz achar que o meu peito vai rebentar de tanta alegria e que é impossível amar assim alguém, tanto que chega a doer!

 

Basicamente repete todas as palavras que lhe dizemos (até já repetiu otorrinolaringologista e nem ficou muito imperceptível!!!), articula bem e junta as palavras com nexo e com sentido. É como ter uma inversa com uma criança de 3 ou 4 anos. Mas ela acabou de fazer dois.

Só continua a dizer "fruta" da maneira mais embaraçosa possível... P*ta!!!

 

publicado às 11:04

M., a Vaidosa

por Mi ♥, em 22.10.13

A M. é viciada na chupeta.

 

Vício no sentido amplo da palavra. Uma necessidade, uma mania, um hábito que consegue resistir!

É só dar-lhe a chupeta ao fim do dia de creche (onde só usa para dormir) e a miúda até suspira de consolo!!! Lá em casa anda sempre com duas ou três chupetas na mão. E às vezes na boca, todas as mesmo tempo.

 

Mas hoje acho que descobri a solução para o vício...

 

Ora a miúda já é vaidosona suficiente para me pedir baton, calçar os meus sapatos, pentear-se e ficar a olhar-se no espelho durante largos minutos, a contemplar-se e fazer caretas (inclusive beicinho!).

 

Hoje, durante a viagem de carro, lá ia ela a pedir-me baton e, como de hábito, lá lhe besuntei os lábios pequeninos com baton de cieiro com sabor a morango... Fez beicinho, mandou beijinhos, roºou os lábios um no outro. Mas antes que pusesse a chupeta, outra vez, avisei-a: "se puseres a pêpê, o baton sai e já não há mais!"

 

E não é que isso a parou!? Ficou a olhar para a fonte do vício, com olhar contemplativo e pensador... Mas a vaidosice foi maior! :)

 

Acho que é desta que lhe compro o mesmo número de batons que ela tem em chupetas!!!

 

Kiss kiss

publicado às 13:07

Índios selvagens

por Mi ♥, em 07.03.13
O que este post aqui me fez rir...

Tive que tapar a boca com as mãos e "engasgar-me" com os risos para não pensarem que sou uma maluca que se ri sozinha a meio do horário de trabalho!

Como eu compreendo a Ana...

A M. tem 16 meses. Levantou a cabeça a primeira vez no dia a seguir a ter nascido, o que já por si impressionou o pediatra. Já devia ser um sinal de alerta tipo "atenção, alto lá que esta cachopa não é das de ficar quetinha". Mas ainda me foi enganado mais umas semanitas. Poucas.

Nunca, mas NUNCA em bebé ela queria estar deitada. Queria estar em PÉ, aos PULOS no nosso colo. Juro. Nunca ninguém do nosso círculo de amigos (extenso e de cicunstâncias e idades muito variado) tinha visto nada assim.

Começou a andar pouco antes dos 10 meses. E foi o fim da "macacada" para mim. Nunca mais tive 1min de sossego. Ela corre numa direcção e 2seg depois corre noutra. Ela corre de fazer uma asneira, para fazer outra. Ela NUNCA pára quieta, só quando vai para a cama (e mesmo aí dá tantas voltas que parece um relógio maluco descalibrado).

As pessoas também me dizem "a M. é demasiado irrequeita; a M. tem o Diabo no corpo (??); esta miúda só faz asneiras; esta miúda é um perigo; esta miúda não pode ser deixada 1min sozinha (1min? diria antes 1seg); etc etc etc.

Quando vai a casa das pessoas, onde está a vergonha típica dos meninos que se escondem debaixo das saias dos pais!?!?! Onde, meu DEUS!?!!? Ela vai LOGO mexer em TUDO! Atira os comandos, lá se vão os vasos, sobe às cadeiras e tenta roer os cabos... OMG, é um verdadeiro terror.

Por isso, sim. Compreendo a Ana INFINITAMENTE bem! Também gostava que dissessem que é uma fase. Mas se não for, oh well...

Teremos sempre a consolação de saber que "talvez na próxima" seremos dos pais que falam baixinho, calmos, que podem ir tomar café das 17h com os amigos, ou ir ao restaurante sem ter medo que o puto destrua o sítio. Ou not. Para isso é que tenho um seguro à miúda...

Desta vez calharam-nos os índios selvagens. Mas são os nossos índios selvagens e têm muito mais pinta do que aqueles que só "olham". Eles usam o mundo, experimentam as emoções, vivem!  


publicado às 18:07

Little girl is watching you

por Mi ♥, em 07.03.13
Ser mãe é ser uma inspiração.
Ser mãe é ser um exemplo.
Ser mãe é ser uma motivação.
Ser mãe é mostrar como a vida pode ser vivida.
Ser mãe é fazer ver o caminho que se deve tomar.
Ser mãe is always to be in the spotlight.
Ser mãe é ser humana.
Ser mãe é errar. E mostrar que errar não faz mal.
Ser mãe é pedir desculpa.
Ser mãe é ser imperfeita. E perfeita.
Ser mãe é ser única.
Ser mãe é ser companheira. É ser amiga. É ser professora.
Ser mãe é ter forças inimagináveis. E medos incontáveis.
Ser mãe é pensar a dobrar. Em si e naquele mini ser.
Ser mãe é chorar com as outras mães face ao sofrimento.
Ser mãe é ser feliz. E triste.
Ser mãe é ter orgulho. E cansaço.
Ser mãe é ajudar alguém a construir a sua personalidade. Sem perder a sua própria.
Ser mãe é ser protecção. É ser consolo. É ser abrigo.
Ser mãe é ser-se precioso. É ser-se divino aos olhos de alguém.
Ser mãe é viver a vida ao máximo. É viver a vida fora do nosso corpo.
Ser mãe é descomplicar. É mostrar que a vida é simples.
Ser mãe é dar felicidade. E sonhos. E projectos. E asas para voar.




publicado às 10:13

Porquê?

por Mi ♥, em 26.02.13
Custa muito deixá-la de bracinhos estendidos, lágrimas grossas a escorrerem-lhe pela cara pequenina, num choro sem fim e um clamor angustiante, ao mesmo tempo que grita "mamã"...

Porque não posso tê-la sempre ao meu lado?

Porque tive uma filha para outras pessoas cuidarem?

Porque posso apenas passarm 2h de tempo útil por dia com ela quando o dia tem 24h?

Porque nessas 2h não podemos apenas brincar e ser felizes, mas temos também que ralhar e educar?

Porque não posso dormir sempre com ela?

Porque não posso pegar-lhe ao colo todos os minutos? Porque não posso levá-la comigo a todos os lados?

Porque tenho que ter tempo para mim? E tempo para "nós"?

Porque tem que dormir num quarto diferente do nosso? Se "nós" dormimos juntos, porque é ela diferente?

Porque todos os dias não podem ser férias e dias de férias, trabalho?

Porque não podemos estar todos os dias, todos juntos?

Porque tenho que entregá-la a estranhos?

Porque não posso EU tomar conta dela?

Porque passamos mais tempo com estranhos e pessoas de quem não gostamos do que com as pessoas que amamos?

Porque  é que o nosso dia tem 16h úteis, das quais 8h são de trabalho, 2h são de trânsito, 2h são de trabalho em casa e mais 2h são de tarefas parvas? Alguém se lembra que assim só temos 2h para mim, para nós, para ela?

Porque temos que viver esta vida assim, sem sentido?

How long...?



publicado às 18:00

Mudanças da maternidade #3

por Mi ♥, em 26.02.13
Veres os Óscares, apercebendo-te que não viste 80% dos filmes. E admitires que dos restantes 20% apenas lhes conheces os trailers ou os títulos.

Sabendo, ao mesmo tempo que se aparessessem ali os pinguins do Happy Feet, a Rapunzel do Tangled, os animais do Madagáscar ou qualquer um dos "actores" dos vídeos da Galinha Pintadinha, versões 1, 2 e 3, saberias as suas falas de cor. 


publicado às 08:47

I love kindergarten

por Mi ♥, em 15.02.13
Esta manhã deixei-te sozinha na creche.

Fizeste birra. Mas não para vires com a mamã.
Fizeste birra porque eu demorei demasiado tempo a tirar-te a roupa e os sapatos para ires brincar.

Nem olhaste para trás. Não disseste "adeus". Quando a educadora te pegou ao colo e eu te disse "xau" ainda reclamaste e fiquei contente porque pensei que afinal ias ter saudades da mamã.
Afinal só querias ir para o chão.

Andou a mamã 9 meses a carregar-te dentro dela, com dores nas costas, com dores na barriga, sem posição para dormir, com caimbrãs nas pernas, com as maminhas mega inchadas, passou umas horas menos boas para te trazer a este mundo, suportou meses de tormento para te amamentar, noites em branco com cólicas, curou quedas com beijinhos, atura birras... e este é o pagamento!?! 

Por outro lado, estou imensamente orgulhosa da minha menina "grande". E tremendamente satisfeita por saber que és tão segura de ti própria e do amor que sabes que a mamã, o papá e todos, sentem por ti que achaste impensável que a mamã te estaria a abandonar.

Não, para ti a creche é onde irás brincar (muito), correr, cantar, dançar, pintar, descer de escorrega, partilhar, aprender e ser feliz. Até a mamã te ir buscar e te abraçar muito. E te confirmar que te ama. Muito. E para sempre.


publicado às 11:40

Mensagens


SOBRE A MI

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

subscrever feeds



Mensagens

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728